Como tratar a inflamação e quais os sintomas

como tratar a inflamação

A inflamação se trata da reação direta do sistema imunológico e pode ser causada por diversos fatores que entram em contato com o nosso corpo. É tão comum quanto a incidência de dentes tortos; que motiva o uso do aparelho ortodôntico, e pode ser influenciada através de algum trauma ou quando o organismo fica expostos a condições de infecções, tumores, alergias doenças autoimunes, etc.

O processo de inflamação em si não é necessariamente algo ruim, uma vez que é responsável pela regeneração do corpo e atua incitando a proteção contra um invasor ou fator negativo. Leia mais:

Inflamação vs infecção

A inflamação e a infecção se tratam de dois processos diferentes, uma vez que não possuem relação entre eles. A infecção se trata de um estado influenciado por algum tipo de bactéria, vírus ou fungo, entre demais microrganismos em contato com o nosso corpo. Com isso, a presença de algum deles no organismo pode combater os agentes patógenos.

Entretanto, existem vários casos de inflamação que não evoluem através de um estado de infecção, como cânceres, doenças autoimunes e traumas. As inflamações se desenvolvem frequentemente por exemplo em tendões, músculos e articulações, e estão comumente ligadas a desgastes físicos do próprio corpo.

Sintomas e tipos de inflamação

Entre os sintomas de uma inflamação estão o calor localizado, a febre, a dor, o cansaço, mal-estar e vermelhidão. Já os seus tipos podem se destacar a picada de mosquito, algum choque e a asma. A picada de mosquito ocorre quando o inseto injeta uma substância irritativa, o que gera dor, calor intenso e vermelhidão. A pancada também leva a esses sintomas, e a inflamação vem após o choque.

Já a asma se difere dos demais casos, uma vez que a inflamação ocorre nos brônquios e não é perceptível. Assim, o dano ocorre por cauda de um dano no tecido, fazendo com que um pouco de fibrose fique presente no local. Esse resultado, geralmente, é mais comum em inflamações crônicas e necessita do controle por medicamentos.

Inflamação crônica e aguda

A inflamação crônica e aguda se diferenciam pela frequência do estado. Para se compreender esse contraste, por exemplo, um paciente asmático, que leva em conta a predisposição genética, no contato com um agente irritativo, dá origem a inflamação.

A inflamação, uma vez de relação crônica, pode se tornar frequente uma vez que não possui o tratamento ideal. A rinite, por sua vez, é causada pelo resfriado, e leva a inflamação nasal e a seus sintomas característicos; coriza e espirros, logo sendo uma inflamação aguda.

A duração da inflamação

Na incidência de uma inflamação no organismo, sua duração depende da situação e, no caso de um trauma, pode durar alguns dias e semanas. Na condição de câncer, a inflamação continua. Na detecção de doenças autoimunes, o estado inflamatório é constante e requer um tratamento mantido ao longo da vida.

Fatores de risco

Entre os fatores de risco da inflamação podemos destacar os fatores genéticos, doenças auto inflamatórias e autoimunes, asma, diabetes, enfisema pulmonar, alergias, obesidade e pode ter influência da faixa etária.

Diagnóstico e tratamento

Ao perceber algum sintoma de inflamação é importante recorrer a ajuda médica, para que seja feita uma avaliação especifica da causa e seja o tratamento devido seja encaminhado. O diagnóstico é feito de várias formas, já que a inflamação não possui apenas um tipo de manifestação.

Com isso, é importante avaliar o caso e as suas particularidades, os sintomas percebidos pelo paciente e o seu histórico médico. Ademais, marcadores sanguíneos de quadros sistêmicos são capazes de facilitar a detecção do problema principal.

O tratamento de inflamação varia quanto a cauda do processo, e quando é motivado por traumas, o uso de inflamatórios e fisioterapia podem ser indicados. No caso de doenças autoimunes, nos dias de hoje, há diversos tipos de remédios que buscam solucionar esse problema. Por último, em infecções, o agente etiológico influencia diretamente e pode-se fazer o uso de antibióticos e terapias medicamentosas recomendadas pelo profissional associado.

Logo, é importante que a inflamação não seja deixada de lado, uma vez que por si só não leve a grandes danos, porém, se agravada, pode gerar complicações mais graves a saúde.

É importante realizar visitas regulares ao consultório médico, e uma vez que a inflamação for identificada, se é necessário manter o acompanhamento médico até que ela seja totalmente solucionada.