Queiroga diz que terceira dose depende de avanço da segunda

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou, nesta segunda-feira (23/8), que só haverá  aplicação de terceira dose da vacina contra covid-19 depois que houver avanço na segunda. “A OMS, hoje, ditou uma posição no sentido de que não se avançasse na terceira dose enquanto a segunda dose não fosse aplicada na maior parte na população global”, justificou o ministro, em agenda em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

O ministro reconheceu que há preocupação em relação à quantidade de pessoas que não compareceram para tomar a segunda dose do imunizante. Ao todo, são 8,5 milhões de brasileiros com a aplicação do reforço atrasada.

“Nós sabemos que a imunização contra a covid-19 é a principal arma para conter o caráter pandêmico dessa doença. Então, é fundamental, é importante, que a população brasileira que tomou a primeira dose da vacina volte para tomar a segunda dose, porque, só assim, a imunização estará completa”, defendeu Queiroga.

Estudo em parceria com a Universidade de Oxford vai balizar a decisão do ministério sobre a aplicação da terceira dose, segundo Queiroga.

“A opinião do especialista é importante, mas quando essa opinião é reforçada com evidência científica de qualidade é a certeza que iremos no caminho certo”, finalizou.

Fonte noticias.r7.com/saude