Entidades de trabalhadores movem ação no STF por lockdown nacional

O Supremo Tribunal Federal divulgou, nesta quinta-feira (8), o recebimento de uma ação movida por 18 entidades representativas de trabalhadores pela determinação liminar para a execução de como o lockdown nacional, toque de recolher e fechamento de aeroportos para enfrentar a pandemia da covid-19.

Por meio de uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 822), as entidades apontam a violação do direito social à saúde e do direito fundamental à vida em razão da condução do país e pedem que o Supremo reconheça o “estado de coisas inconstitucional” no tratamento de políticas públicas de saúde nacional.

Na ação, os autores citam o monitoramento da taxa de ocupação de leitos de UTI para o tratamento dos pacientes infectados pelo novo coronavírus superior a 90% e os recordes diários no número de casos e de óbitos para concluir que a situação enfrentada pelo Brasil exige uma política concertada no sentido de se salvar vidas.

Os trabalhadores afirmam que os fatos recentes revelam que a inação do governo federal, tanto na coordenação efetiva quanto na determinação de medidas restritivas em todo o território nacional, impede a eficácia de medidas locais, regionais ou estaduais.

“Na busca da contenção da pandemia, governos estaduais e municipais têm promovido indispensáveis medidas restritivas, as quais, contudo, são criticadas ou colocadas em dúvida sobre sua eficácia pelas autoridades federais”, afirmam as entidades no documento ajuizado.

Na liminar, as entidades pedem para que, sob a coordenação do governo federal, seja imposta aos entes federativos a obrigação de adotarem lockdown (fechamento) pelas próximas três semanas para a circulação de pessoas, além de medidas recomendadas pela comunidade científica.

Entre as atividades que deveriam ser proibidas, conforme o texto da ação, estão: shows, congressos, atividades religiosas, esportivas e as aulas presenciais; toque de recolher nacional entre 20h e 6h da manhã; fechamento das praias e bares; adoção de trabalho remoto sempre que possível, tanto no setor público, quanto no privado; fechamento de aeroportos e do transporte interestadual; medidas para redução da superlotação nos transportes coletivos; e ampliação da testagem e acompanhamento dos testados, com isolamento dos casos suspeitos e monitoramento dos contatos.

Fonte noticias.r7.com/saude

Vacinada, Carol Dieckmann fala sobre esperança pós-pandemia

Carolina Dieckmann acaba de engrossar a lista dos famosos vacinados contra a covid-19. A atriz de 42 anos recebeu o imunizante nos Estados Unidos, país onde mora já há alguns anos com a família. No post, a artista falou da esperança que tem de o Brasil e o mundo vencer a doença. 

“Estamos na Semana Mundial da Saúde.  E eu, enfim, vacinada, ainda que na casa das  ambiguidades: alegria emaranhada na tristeza. Não dá pra estar completamente aliviada enquanto o Brasil e o mundo não respirarem livres dessa doença (ou pelo menos que ela seja controlada). Mas tenho fé e tenho muita esperança em Deus e na ciência, na pesquisa, no SUS, na medicina… Por mim, por você, e por todos que o Brasil consiga trilhar um novo caminho no combate ao coronavirus. Que as pessoas entendam e percebam a gravidade de tudo que está acontecendo, que a saúde seja celebrada e não esquecida. Saúde para todos. Espero, acredito, desejo, amém.

Confira as celebridades que tomaram a vacina contra a covid-19

Fonte noticias.r7.com/saude

Justiça Federal anula prisão de falsa enfermeira em Minas Gerais

A defesa da falsa enfermeira Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas informou, nesta quinta-feira (8), que conseguiu na Justiça a anulação das prisões preventiva e temporária da investigada no esquema de vacinação ilegal em Belo Horizonte.

Segundo comunicado do advogado Bruno Agostino, a decisão atendeu a um pedido da defesa da mulher que, na verdade, é cuidadora de idosos. Até o momento, o TRF1(Tribunal Regional Federal da Primeira Região) não confirmou a sentença do processo, que corre em segredo judicial.

Apesar da decisão, Cláudia já está solta desde o último sábado (3), após passar quatro dias detida. Em contato com a reportagem, o advogado detalhou que com a mudança no processo, ficam suspensas algumas medidas cautelares impostas à investigada. Como exemplo, a proibição de deixar a cidade de Belo Horizonte e de se aproximar de algumas pessoas envolvidas na investigação.

“A defesa da sra. Cláudia Torres continuará na busca pela transparência e Justiça em relação aos métodos e procedimentos utilizados pelos servidores públicos na investigação da Operação Camarote”, escreveu Agostino.

A defesa alegou que os pedidos de prisão apresentados contra a investigada não atendem aos requisitos necessários e, por isto, são ilegais. Ao prender a cuidadora de idosos no último dia 30 de março, a Polícia Federal a indiciou por “falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”.

Os investigadores ainda tentam descobrir a origem das vacinas e se elas eram verdadeiras. Até o momento não foram encontrados imunizantes contra a covid-19 com a mulher. Na casa dela a polícia achou seringas, soro fisiológico e doses de vacinas contra gripe.

A suspeita é que Cláudia tenha vendido e aplicado os suspostos imunizantes para centenas de pessoas. Quase 80 teriam recebido o medicamento na garagem de ônibus da empresa Coordenadas, ligada ao Grupo Saritur, em Belo Horizonte.

Famílias de bairros nobres da capital mineira também teriam sido “atendidas”. Um vídeo mostra o momento em que Cláudia chega com uma maleta em um prédio de luxo, no bairro Gutierrez, na região Oeste da capital mineira.

O empresário Marcelo Martins Araújo, que mora no edifício, confirmou à polícia que comprou a vacina oferecida pela falsa enfermeira pensando se tratar de um imunizante da Pfizer.

Fonte noticias.r7.com/saude

Butantan interrompe produção da Coronavac por falta de matéria-prima

O Instituto Butantan concluiu o envase da vacina CoronaVac com o IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) recebido até o momento da chinesa Sinovac, mas ainda tem doses em processo de controle de qualidade a serem entregues ao Ministério da Saúde enquanto aguarda a chegada de mais insumos, informou a instituição nesta quarta-feira (7).

“Todas as doses provenientes do IFA recebido da China já foram envasadas. Neste momento, cerca de 2,5 milhões de vacinas encontram-se em processo de inspeção de controle de qualidade — parte integrante do processo produtivo — para serem entregues na semana que vem ao Programa Nacional de Imunizações”, disse o Butantan em nota.

Mais cedo, o presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou em entrevista coletiva que uma nova remessa de IFA que estava prevista para chegar esta semana deve desembarcar no Brasil somente na próxima. Segundo o Butantan, os insumos esperados serão suficientes para mais 10 milhões de doses.

O Butantan entregou até o momento 38,2 milhões de doses ao PNI, em um acordo inicial que prevê 46 milhões de doses até o final deste mês e mais 54 milhões de doses até o final de setembro — prazo que o instituto prevê antecipar para agosto.

Também nesta quarta, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que conversou por telefone com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, que lhe disse que não via razões para atrasos no envio de IFA ao Brasil.

Segundo o Butantan, a Sinovac não atrasou nenhum envio de insumos ao Brasil, mas decidiu seguir o cronograma sem antecipações agora que a China está acelerando sua própria campanha de imunização contra a covid-19.

Fonte noticias.r7.com/saude

Tratamento de Paulo Gustavo tem até 80% de eficácia na cura da covid

Resumindo a Notícia

“Poder voltar para casa, encontrar a esposa e filhos trouxe uma sensação inexplicável, é como se estivesse tendo uma segunda chance para ser melhor pai, melhor esposo, melhor filho! Como diz a canção: “Melhores em tudo”, é dessa forma que Alcimei Carvalho da Silva fala da sua cura da covid-19. Assim como o ator Paulo Gustavo, ele precisou usar um pulmão artificial para ajudar na recuperação.

Aos 36 anos, o coordenador de controladoria de uma empresa de produtos pet, em Jaú, no interior de São Paulo, descobriu a doença em janeiro.

A covid começou sem sintomas pesados, mas logo ficou grave e ele foi internado na Santa Casa da cidade. Porém, precisou ser transferido para a capital, onde ficou internado no Hospital Nove de Julho.

“Em uma operação envolvendo alto risco de morte, em um cenário que mais parecia cena de filme, com transporte aéreo em avião com UTI, fui transferido para São Paulo. Já na transferência foi necessário o uso ECMO, uma vez que meus pulmões dependiam 100% da ajuda de aparelho”, lembra Alcimei.

A indicação para usar o procedimento chamado ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea) é exatamente para casos mais graves, quando não existem outras formas de tratamento. 

A taxa de sucesso da recuperação de pacientes que passam por esse tipo de tratamento chega a 80%.

O ator Paulo Gustavo respira com ajuda do ECMO desde o último fim de semana e vem apresentando melhoras clínicas, de acordo com os últimos boletins médicos. 

De acordo com o cirurgião-vascular Diego Gaia, coordenador de ECMO no Hospital Santa Catarina, em São Paulo, o tratamento é positivo.

“Usamos quando a ventilação mecânica já falhou. Se o paciente não for conectado no ECMO a chance de sobreviver é próxima a zero. Os registros internacionais mostram uma recuperação de 50 a 80% de sucesso. Então o paciente sai de zero, ou próximo disso, para até 80% de chance de viver”, diz o médico.

Mesmo com alto índice de resposta positiva, a tecnologia não está disponível no SUS (Sistema Único de Saúde).

De acordo com o Ministério da Saúde, os estados e Municípios podem usar técnica, mas sem reembolso do governo federal.

Em 2015, chegou a ter um pedido para incorporar no SUS o tratamento, mas foi negado pela Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias).

A terapia também não faz parte dos procedimentos classificados no rol de cobertura da ANS (Agência Nacional de Saúde) como obrigatórios aos planos de saúde.

O tratamento é caro, só a membrana custa entre R$ 40 mil e R$ 50 mil e tem a durabilidade de 20 a 30 dias. Quando os pacientes usam o ECMO por um longo período, é necessário trocar a membrana.

O médico do Hospital Santa Catarina conta que com a gravidade da covid, os hospitais estão conseguindo junto aos planos de saúde a liberação do tratamento.

“Mesmo sendo um procedimento que não está no rol da ANS como obrigatório, nós estamos conseguindo provar a necessidade em casos de covid e temos conseguido a liberação de alguns planos de saúde, e a família não arca com custos tão altos”, afirma Gaia.

A ECMO é um tratamento que acontece há mais de 15 anos e é usado por pacientes que apresentam inflamações graves nos pulmões e no coração. O médico explica como é o funcionamento da máquina:

“O aparelho retira o sangue do paciente sem oxigênio e com muito gás carbônico com um tubo na virilha do paciente. A máquina faz a troca do gás carbônico pelo oxigênio e devolve o sangue pelo pescoço rico em oxigênio. O aparelho vai respirar pelo paciente”, ensina Gaia. E completa:

“É uma máquina que pode fazer tanto as funções do pulmão quanto do coração. Quando o paciente está em ECMO, ele pode ser desligado do respirador. Com isso, ganha um tempo para o pulmão se recuperar da infecção pela covid e então voltar a respirar sozinho”, conta.

Os pacientes não têm um limite de tempo para usar a máquina, mas o especialista alerta que quanto mais a pessoa respirar com ajuda do pulmão artificial, maiores são os riscos.

“O tempo de tratamento médio é de 10 a 15 dias, mas já tive pacientes que ficou quase 60 dias no aparelho. O que aumenta os riscos, para evitar trombose e coágulos, o paciente recebe anticoagulante na veia. Quanto mais tempo o paciente recebe esse medicamento, maiores são as de sangramento e infecção”, alerta Diego Gaia.

No caso de Alcimei, o pulmão artificial foi usado por dez dias. No total, foram 40 dias de internação, sendo 30 em UTI — deste tempo, 25 dias com intubação.

Ele perdeu 20 quilos e tem passado por recuperação intensa com ajuda de fisioterapeutas.

Na última segunda-feira, Alcimei voltou ao trabalho e foi recebido com festa pelos companheiros da empresa. 

Para agradecer ao médico que ajudou a salvar sua vida, mandou um vídeo dele tocando saxofone, na banda de louvor, da qual ele faz parte. É a prova de que os pulmões voltaram a funcionar bem. 

“Fiz o vídeo no domingo e enviei para o médico. Tenho por certo que sou a prova viva de que Deus opera milagres, pois eu já estava condenado à morte pela ótica humana e hoje estou aqui para testemunhar que Deus é bom o tempo todo”, agradeceu Alcimei.

Em resposta ao R7, a Abramge (Associação Brasileira de Planos de Saúde) explicou que a adoção da terapia ECMO é mais uma opção dentre uma série de tratamentos que estão sendo testados no combate à covid-19.

É um tratamento ainda muito restrito e não consta no rol de procedimentos da ANS, cuja avaliação é estritamente técnica para a incorporação de novas tecnologias com objetivo de garantir a segurança clínica do paciente e a sustentabilidade e higidez do sistema de saúde.

Fonte noticias.r7.com/saude

Argentina tem novas restrições após recorde de casos de covid-19

O governo argentino anunciou nesta quarta-feira (7) que vai impor novas restrições para a circulação de pessoas e o funcionamento de atividades após registrar um novo recorde de infecções por covid-19, em uma segunda onda da pandemia.

Leia também: Alberto Fernandez evolui bem e segue sem sintomas de covid-19

O presidente Alberto Fernández afirmou que a partir de sexta-feira até 30 de abril a circulação será proibida todos os dias entre 0h e 6h, os bares e restaurantes funcionarão até 23h e serão fechados cassinos, bingos e salões de baile e festas, entre outras medidas.

“A Argentina entrou na segunda onda”, disse Fernández em um discurso transmitido pela televisão da residência presidencial. “Somente nos últimos 7 dias, os casos aumentaram 36% em todo o país e 53% na AMBA (Cidade de Buenos Aires e arredores)”.

O presidente disse que busca cuidar da saúde dos argentinos bem como da recuperação econômica e manter “a presença nas escolas o máximo possível”.

Fernández, de 62 anos, é um dos casos de coronavírus registrados nos últimos dias. De acordo com boletim médico divulgado nesta quarta-feira pela Presidência, ele está evoluindo favoravelmente, com um quadro clínico “leve”.

Fernández tomou a vacina russa Sputnik V no início do ano.

“A vacina me permitiu passar pelo tratamento sem sintomas dolorosos e com a tranquilidade de saber que meu corpo havia gerado anticorpos suficientes”, explicou ele em sua mensagem.

O país registrou cerca de 2,45 milhões de casos de coronavírus e 56.832 mortes, e a segunda onda está crescendo, de acordo com dados oficiais. Na quarta-feira, a Argentina novamente relatou um recorde diário de 22.039 infecções, após uma alta anterior de 20.870 na terça-feira.

O país está realizando um lento processo de vacinação. Até terça-feira, o país tinha aplicado 4,5 milhões de vacinas, e apenas 699.598 pessoas receberam as duas doses.

Fonte noticias.r7.com/saude

Parte dos vacinados por falsa enfermeira não estaria imune 

Parte das pessoas supostamente vacinadas pela falsa enfermeira em Minas Gerais não estaria imune contra a covid-19. A informação foi confirmada pela Polícia Federal, nesta quarta-feira (7).

Segundo o delegado Rodrigo Morais, duas pessoas que prestaram depoimento hoje apresentaram exames que não apontaram a presença do reagente ao coronavírus.

Os testes, segundo a PF, foram feitos de forma espontânea em um laboratório particular. Ainda de acordo com o delegado, os investigadores devem pedir os mesmos testes para as outras testemunhas que ainda irão prestar depoimento. Até o fim desta semana, ao menos 60 pessoas devem ser ouvidas.

— Vamos pedir de todos. Obviamente não é obrigatoriedade deles entregar, mas as pessoas que temos ouvido têm colaborado e apresentado este exame.

As duas pessoas interrogadas nesta quarta-feira não tiveram os nomes divulgados. Ambas são de Belo Horizonte e prestaram depoimento por videoconferência por causa da pandemia. Elas não teriam recebido a vacina na garagem da empresa de ônibus onde Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas foi filmada, de jaleco branco, aplicando as doses.

Informações da PF dão conta que centenas de pessoas foram supostamente vacinadas pela falsa enfermeira, que na verdade é cuidadora de idosos. Ela atendeu empresários e parentes em bairros de luxo de Belo Horizonte, cobrando R$ 600 por pessoa.

Investigação

Segundo a PF, o resultado dos exames contribui para a suspeita que Cláudia não tenha, de fato, aplicado vacinas contra a covid-19 no grupo. Ainda não há definição sobre o assunto.

Durante buscas na casa da investigada, a Polícia Federal encontrou vacinas da gripe e frascos de soro fisiológico.

Fonte noticias.r7.com/saude

De retroescavadeira, idoso vai a drive-thru para ser vacinado em SP

Uma retroescavadeira foi o veículo utilizado por um morador da cidade de Assis, no interior de São Paulo, para conseguir tomar a primeira dose de vacina contra o coronavírus em um posto de drive-thru na quinta-feira (1). A imagem da cena, com um enfermeiro sobre a máquina para aplicar a dose só viralizou na terça-feira (6).

O idoso, de 68 anos, seguiu para o local, estacionou a máquina nas proximidades, e foi a pé ser vacinado. No entanto, foi informado de que apenas pessoas em veículos seriam imunizadas. Ele não penseou suas vezes. Voltou e buscou a retroescavadeira para receber a vacina de forma nada discreta.

Em Santo André, no ABC Paulista, um idoso de 69 anos também foi barrado depois de agendar a vacinação e se dirigiu a pé a um drive thru. A coordenadora do local acionou a GCM (Guarda Civil Metropolitana) e alegou que as regras mudaram naquele exato dia e só quem estivesse dentro de um veículo poderia ser atendido.

Inconformada, a filha do idoso gravou a situação, que foi resolvida por acaso. Enquanto pai e filha tentavam se acalmar para ir embora, receberam um convite inesperado: uma carona para salvar o dia de um motorista desavisado. 

“Ele falou aqui tá dando? Eu falei é, mas eu não posso tomar porque não tenho carro. Ele falou ‘entra aqui’. Você vê? Se arriscou também, né? Seu Antônio. Me levou até em casa, Mora perto de lá”. O momento da vacinação também foi registrado.

*Com a colaboração de Beatriz Lopes

Fonte noticias.r7.com/saude

Mexicanos se disfarçam de idosos e são vacinados, mas acabam presos

Dois homens, ambos com cerca de 30 anos, conseguiram ser vacinados contra a covid-19 na Cidade do México, após se disfarçarem de idosos, mas foram descobertos e acabaram sendo presos. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (7), por autoridades da capital mexicana.

Leia também: México pode ter 60% mais mortes por covid que o divulgado

“No caso destes dois jovens que se disfarçaram e receberam a vacina como maiores de 60 anos, os dois estão detidos com prisão preventiva”, disse a prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, em uma coletiva de imprensa.

O caso aconteceu há duas semanas, em um posto de vacinação em La Marina, no setor de Coyoacán, onde a campanha de vacinação era exclusivamente para pessoas com mais de 60 anos, segundo Cristina Cruz, funcionária da prefeitura.

Foi ali chegaram os dois homens, de 30 e 35 anos, com os cabelos e sobrancelhas pintados de branco, e usando máscaras e faceshields para esconder os rostos. 

Ambos apresentaram documentos de identidade falsos e conseguiram receber o imunizante, mas o plano veio abaixo quando eles foram obrigados a conversar com uma funcionária responsável por explicar o plano de vacinação.

“Uma colega percebeu pela voz que não parecia a de um idoso, e foi então que ela chamou as autoridades”, explicou Cruz, em entrevista ao portal de notícias UNOTV. Ela afirmou que os dois serão processados por falsidade ideológica.

A vacinação no México começou no último dia 24 de dezembro, passando primeiro pelos funcionários da saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia, e agora se concentra nas pessoas da terceira idade, com o que o governo espera reduzir as mortes por covid-19 em cerca de 80%.

O país já relatou alguns casos isolados de pessoas que foram vacinadas furando o cronograma estabelecido com critérios de idade. Sheinbaum assegurou que, na capital, esses episódios têm sido raros.

O epidemiologista Hugo López-Gatell, porta-voz da estratégia do governo contra o coronavírus, condenou esses comportamentos, mas afirmou que as pessoas que receberam a primeira dose de forma irregular poderão ter também a segunda, para não desperdiçar recursos.

Negar a vacina a essas pessoas “seria exercer um ato de Justiça com medidas que são da saúde pública”, afirmou ele, após o caso de um oftalmologista que teve acesso irregular ao imunizante.

Com 126 milhões de habitantes, o México é o terceiro país mais atingido pela covid-19 em números absolutos, com 205 mil mortes, e tem o 14º maior número de casos, cerca de 2,25 milhões de casos registrados, segundo os dados oficiais. O país já aplicou 9,6 milhões de doses de vacinas, 

Fonte noticias.r7.com/saude

Dono de haras confirma compra de vacina com falsa enfermeira em MG

O dono de um haras localizado na região metropolitana de Belo Horizonte confirmou à Polícia Federal, nesta terça-feira (6), que comprou as supostas vacinas contra a covid-19 da falsa enfermeira de Belo Horizonte.

Durante o depoimento, Marcelo Martins Araújo disse que teria comentado sobre a negociação com o empresário Rômulo Lessa, apontado como organizador da vacinação irregular em uma empresa de ônibus da capital mineira.

As informações foram confirmadas pelo advogado Juliano Brasileiro, que defende Araújo. Segundo o defensor, o cliente pensou estar comprando imunizantes da Pfizer. A empresa afirma que só vende os produtos para o poder público. A polícia ainda investiga se as doses eram verdadeiras.

Ainda de acordo com Brasileiro, o cliente “nega ter feito qualquer indicação sobre a qualidade e idoneidade da Sra. Cláudia ou das supostas vacinas por ela aplicadas”, se referindo a Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas, a cuidadora de idosos que se passou por enfermeira.

Araújo, que afirma ter sido na condição de “vítima/testemunha”, também diz que não tem “qualquer outra participação nos fatos objetos do inquérito”.

Um vídeo usado nas investigações, divulgado pela Rádio Itatiaia, mostra a Cláudia indo ao prédio de luxo onde Marcelo Martins Araújo mora, no bairro Gutierrez, na região Oeste de BH.

A polícia ainda não confirmou quantas pessoas teriam sido vacinadas pela cuidadora de idosos, mas há relatos de atendimentos em outros bairros nobres da capital mineira, como o Belvedere. Seria cobrados R$ 600 pelas duas doses.

Clésio Andrade, ex-senador e ex-vice-governador de Minas Gerais, também deveria ter prestado depoimento hoje, mas ele não compareceu, alegando ter entrado em isolamento social após contato com uma pessoa infectada pelo coronavírus. A PF vai marcar uma nova data.

No mês passado Clésio Andrade havia dito à revista Piauí que teria recebido a vacina gratuitamete na garagem na capital mineira. Questionado pela reportagem, ele negou as informações. No entanto, após novo questionamento, disse que esteve na empresa de ônibus para levar parentes que teriam sido imunizados.

Uma terceira pessoa, que não teve a identidade divulgada, também foi ouvida. A reportagem tenta contato com os citados.

Fonte noticias.r7.com/saude